Spaceman – The Killers

 

 

Incrível como pequenas fatos mudam tanto a nossa perspectiva em relação a vida e ao mundo. Incrível como muitas vezes um único fato faz tanta coisa na vida de alguém. Engraçado como em meu último texto eu tentei agradecer por estar alegre e do nada recebi uma mensagem onde me disseram que eu não ligava pras lágrimas que causei. Confesso que isso ficou martelando a minha cabeça, por ter vindo de onde veio, como veio e sem a devida cobrança pela determinada lágrima.

Confesso que num momento imaginei que a felicidade de alguém pode simplesmente machucar alguém pelo simples fato dela existir. Eu sou daqueles que realmente acredita que é impossível ser feliz sozinho, mas não quer dizer que eu precise ter alguém ao meu lado e sim que eu preciso que os próximos a mim estejam felizes para que eu me sinta também feliz. Uma espécie de efeito manada.

Claro que um sonho seria poder fazer as pessoas felizes apenas pelo exemplo. Queria que a minha felicidade contagiasse todo mundo e sinto pena de quem acaba sentindo o oposto pelo fato de ver alguém feliz. Isso dito, vale a pena falar de exemplos que realmente marcam. Vivemos num país de baixa idolatria. Um país sem heróis e que tenta de todas as formas destruir os poucos heróis que tem. Direto vejo gente chamando Tiradentes de engodo, Zumbi ter sua orientação sexual contestada e colocada acima de sua importância histórica (o que a orientação sexual de alguém muda nos seus atos?)

Quinta e sexta estive ao lado de um dos raros heróis brasileiros atuais. Um dos únicos da área de ciência e tecnologia, com certeza o mais popular dessa área. Trabalhei como voluntário num evento organizado pelo Marcos Pontes, primeiro astronauta brasileiro. Primeiro homem de nosso país a conseguir realizar um sonho de provavelmente muitas de nossas crianças. Já o havia conhecido antes, então o jeito simples e sem afetação não foi novidade. Nem mesmo a forma atenciosa como atendeu todas as crianças ávidas por uma foto, um abraço um autógrafo (levei um livro autografado pra minha namorada, ninguém é de ferro e mesmo trabalhando tive meu momento tiete).

O que pude perceber ali, é que muita gente idolatra o que ele fez. Principalmente as crianças. O que me incomoda é saber que muita gente inveja a conquista dele. Muita gente briga por um brilho maior do que o da estrela estabelecida. Como se o sucesso do outro de alguma forma impedisse o seu. Pessoas buscam erros  nas menores ações, nos menores passos e fazem questão de divulgar.

Parece que é proibido para o famoso cometer um erro. Ele não pode ser humano, tem que ser perfeito. Os detratores querem sempre a falha e nunca realçam as qualidades. E eu me pergunto o porquê. Seria muito mais justo entender que todo mundo erra e que mesmo errando como todo mundo, tem gente que consegue ir além dos erros e conseguir acertos que maravilham muita gente e servem de inspiração.

Fico pensando se por estar feliz e dizer isso eu de certa forma incomodei, imagine como incomodam aqueles que realmente inspiram e principalmente o peso que eles carregam por isso. Porque mais do que fazer o duro é manter o exemplo. Isso não depende de quem faz, depende bem mais de quem olha saber ter o olhar livre o suficiente para ver apenas o lado positivo. Depende de quem vê perceber que as glórias muitas vezes são bem mais do que merecidas.

Não se busca a perfeição e a plenitude. Busca-se sempre o melhor exemplo. Todo mundo quer ser a melhor pessoa possível e minimizar seus erros. Infelizmente a gente sempre vai errar em algum ponto, causar alguma lágrima, mas reitero que mais importante que as lágrimas que a gente causa (e de alguma forma tenta estancar a dor de quem chora) são os sorrisos que a gente cria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.