Shiny Happy People – REM (2)

 

 

Incrível como a gente muitas vezes não percebemos como está o nosso real estado de ânimo até sermos postos a prova. Eu me vi assim nesse fim de semana. Correndo feito louco, passando mal na quinta, meia força na sexta mas tendo que correr pra mercado, curso, casa dos pais e tudo mais e me preparando pra um sábado aparentemente simples, mas que me gerava uma ansiedade ímpar.

E passei por cada um dos estágios sorrindo, passei por todos os estágios sem perceber o que exatamente eu fazia, apenas fiz o necessário e vi que o tempo demorou a passar num sábado que aparentemente demoraria a passar. E demorou, pelo menos até o momento em que ela chegou. Foi só ver seus olhos e perceber que todo o tempo que se passou poderia parar ali naquele instante. Eu tinha diante dos meus olhos a razão de todo e qualquer esforço que eu pudesse ter imaginado.

Sorte que por incrível que pareça, as coisas possam ser melhores ainda. A noite se aprofundou e com ela chegaram alguns bons amigos. Gente que partilha comigo o duro dia a dia. Gente que sente dores parecidas e que me viu chorar e reclamar muito num passado recente, até que eu encontrasse novamente motivação para sorrir de forma desenfreada e juvenil como tenho feito no último mês e meio.

E ai o tempo voou como se quisesse correr por entre meus dedos. Mal vi que ele passou de tão breve e rápido que foi. A boa companhia fez tudo esvair-se deixando na boca um doce gosto de quero mais, preciso de mais e a principal vitória foi a sensação de bem estar criada pela presença de todos, novos e velhos amigos que me proporcionaram. Foi como se estes amigos de alguma forma corroborassem toda a alegria que eu tenho sentido ultimamente. Por isso foi tão importante para mim ver todos juntos nesse momento. Tão importante que me fez retomar uma música que já usei, mas que me parece única pra dizer o que eu realmente senti com a presença de todos. Pessoas felizes porque eu estou feliz.

E mais importante foi perceber tudo o que se desenhava diante dos meus olhos. Ver o valor do cuidar e ser cuidado. Ver o quanto é importante para o outro ser cuidado, mas principalmente deixar o outro deixar de você, como forma de mostrar a você a sua real importância.

Aprender a receber tem sido o maior aprendizado para os dois. Andar de mãos dadas, caminhar sorrindo, desejar um bom dia, todas essas outras coisas vistas como clichês aparecem normalmente e sem esforço. O ar meloso existe, assim como o cuidado, mas sem afetação ou excesso. Existe sim carinho, mas principalmente respeito e admiração.

Prova disso foi ter provado hoje um dos melhores almoços da minha vida. Ser cuidado como se eu fosse realmente alguém especial. E assim me senti mesmo. Muito especial vendo o almoço ser preparado, a casa cuidada com o toque de quem quer de alguma forma deixar a sua marca. E por favor sem machismo ou feminismo maluco, apenas a sensação de fazer algo por quem se ama e receber esse amor de volta de alguma forma, até a orquídea que tenho em casa parece ter entendido dessa forma, caso contrário não estaria florida a um mês, sem sinal de perder a beleza das flores nos próximos dias.

Porque o que vale é descobrir a alegria nas pequenas coisas e dividi-la com as pessoas que são realmente importantes para nós.  Amigos e parentes é que nos fazem bem. É com eles que a gente tem que dividir os bons e maus momentos. Estou feliz por poder fazer isso com eles nessa fase importante da minha vida. Obrigado pela oportunidade que vocês me dão nesse momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.