Into My Life – Men at Work

 

 

Desculpem o atraso, eu realmente costumo publicar aqui aos sábados ou domingos. Acontece que esse foi um final de semana atípico. Eu quase nem parei em casa. Passei lá só pra tomar banho, dormir e me trocar. Correria total em meu trabalho, confesso que essa correria valeu a pena. Me fez bem e me fez perceber que eu realmente estou no lugar certo, fazendo a coisa certa, espero que também da forma certa (mas isso eu não sou a pessoa mais indicada pra avaliar).

No domingo, depois de um dia cheio de trabalho, alegria, tristeza, conquistas e derrotas (e claro muitos pedaços de pizza pra se organizar tudo isso na cabeça), voltei pra casa pensando no que escrever, e tentando imaginar se tinha alguma música que refletia minhas ideias. Dessa vez nem demorou muito pra surgir uma música legal e interessante. Eu estava realmente pensando em como coisas que entraram em minha vida meio sem querer acabaram se tornando importantes pra mim, divertidas.

Procurei no pendrive a música que me veio a cabeça. Fui tentando cantarolar Into My Life do Men at Work (eu descobri depois que é da fase solo do Colin Hay, mas a sua antiga banda me dá mais subsídios para o que eu quero dizer). Percebi que meu inglês é péssimo e que eu não conseguia acompanhar a música com a letra na mão, mas a melodia me agrada pacas e principalmente os versos trazem mesmo o que eu queria dizer.

Na minha vida, muita coisa acontece. Momentos simples que nunca foram pensados ou desejados. Pessoas que eu nunca imaginei realmente me importar com elas. Histórias que eu realmente nunca imaginei viver. No fundo, viver é exatamente isso. É trazer a cada momento coisas novas para a nossa vida. E é justamente isso que eu tenho feito a alguns anos e que percebi de forma muito clara nesse último fim de semana.

Nesse ponto a música cai como uma luva. Eu nunca beberia com as pessoas envolvidas na história que estou citando aqui. Elas nem podem fazer isso e eu também não bebo. Mas fui à pizzaria com elas. Sem manchas de vinho no tapete, mas com desenhos feitos nas toalhas das mesas, como marcas que sirvam para lembrar para sempre de todos aqueles com os quais passamos momentos estranhos, de cansaço, tensão e alegria.

É divertido olhar de fora e perceber as relações se fortalecendo. Gente se transformando num processo em que tudo parece acontecer meio por acaso. Os tímidos ficam expansivos, os calmos explosivos e amizades se firmam. É gente que se presta a construir mesmo com as diferenças que surgem e que faz essas diferenças sumirem pouco a pouco. Justamente por curtir e entender o valor da diferença. É gente que me ensina todos os dias a buscar ser alguém melhor. É gente que de uma forma inesperada entrou em minha vida e se alojou nela sem pedir licença.

E o engraçado é que a tempos eles tentam dançar comigo, e de certa forma me mantém acordado, a ponto de até buscá-los num carro que diferente do dá música está longe de ser branco, está mais pra muito sujo. Talvez até pensem que eu nunca danço. Acontece que eu até danço, nunca fiz isso com eles, prefiro vê-los felizes curtindo fazer isso. Vê-los felizes e produzindo é o que me acende. Sinto-me aceso ao ver a chama se acendendo dentro deles. Transformando gente em gente cada vez melhor.

Eu repito, nunca quis isso em minha vida. Mas alguém colocou isso no meu caminho e se eu tivesse que relembrar dos bons momentos que vivi,  nunca poderia esquecer desses pequenos momentos que no fundo se tornaram muito importantes para mim.

A eles eu só posso dizer obrigado. Aos demais leitores, só posso pedir que coloquem aqui também momentos e situações inesperadas adentraram sua vida de forma prazerosa mesmo que você esperasse exatamente o oposto.

“From time to time I feel so blind
And there’s still so much more left to do
Into my life            Into my life         Into my life
All right”

4 respostas para “Into My Life – Men at Work”

  1. foi muito bom! espero poder continuar fazendo parte disso e contribuindo muito mais do que pude nesses meses. o que eu disse ontem pra eles sobre serem o tipo de alunos que fazem valer a pena é verdade-verdadeira.

    1. Concordo com sua fala em gênero, número e grau. E acredite, esse foi só um primeiro ensaio, mas vc realmente contribuiu e ainda vai contribuir muito nesse grupo. Depois que eles entram em nossa vida, fica impossível sair dele. Falo isso porque ao fazer o texto fui lembrando de todos os alunos que passaram pelas minhas mãos e me fizeram feliz por ter sido professor deles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.