Every Little Thing – Yes

 

 

Segunda-feira fiz um bate e volta no Rio de Janeiro. Queria ter ido com mais tempo e visto mais pessoas. Peguei o ônibus e viajei durante a madrugada, fiz o que tinha que fazer e voltei rapidamente para Sampa. Nem pude curtir a cidade, ver os amigos, ver a beleza do lugar.

Consegui só ler as últimas páginas do Juliet, Nua e Crua enquanto tomava café na rodoviária, logo após chegar. Comi dois pães de queijo enquanto me despedi de um livro que de certa forma acabou sendo um bom soco em meu estômago. Me fez pensar em muita coisa, algumas delas ainda em fase de digestão.

Outras bateram mais rápido. Como um tapa forte em meu rosto. Me acordaram para pequenas coisas que na verdade são grandes.São enormes porque se mostram importantes de um jeito que a gente só percebe quando perde e sente falta. Ou quando não faz e sente o dia incompleto, sente a necessidade desse gesto simples.

Quando no texto se percebe que Tucker Crowe está cercado por amor, por 3 formas diferentes de amor. Eu me vi rindo e pensando no assunto. Falar eu te amo é algo muito forte. Eu raramente uso essa expressão, até por não conseguir realmente definir o sentimento. De certa forma, me vi o exato oposto dessa cena, enquanto Tucker é quem recebe diferentes formas de amor, eu me vejo sentindo diferentes formas de algo que não consigo nomear direito. Não chamo de amor, porque para mim o amor é algo pleno e completo, irrestrito e profundo, totalmente louco e provavelmente irresponsável. Eu já senti isso e quero sentir novamente. Mas não é esse o único modo de se admirar muito alguém.

E tem muitas formas de se admirar alguém de um jeito especial. Tem aquela que te ensina sem saber. Aquela que você quer seguir como exemplo. Aquela que te faz suspirar sem saber o motivo. Tem aquela pessoa que encanta só pela presença e aquela que te conquista simplesmente por ser quem é. Pelos defeitos e qualidades que tem. Por ser gente simples, gente que te ensina e aprende com você.

Sim tem quem me provoque desejos, mas também existe aquela pessoa que eu admiro com carinho amigo e fraternal. Eu admiro tanta gente que fica difícil chamar isso de amor. Por isso chamo de carinho e na minha timidez imensa eu tento demonstrar de toda forma tudo o que eu sinto de positivo por alguém. Por isso me preocupo, por isso respeito, por isso cuido, por isso desejo. Cada pessoa recebe de mim um tipo especial de atenção. A atenção que eu acho que mereça, nem sempre o carinho que merecem, muitas vezes eu não consigo. Até tento, mas em algum ponto eu travo e não posso dizer realmente aquilo que eu gostaria de falar, muito menos fazer o que gostaria de fazer.

Tento assim mostrar meu parco carinho em ações simples. As vezes escrevo por aqui para as pessoas que admiro. Sei que nem sempre elas encontram esse lugar. Mas ele existe muito por causa delas. Gente que me faz crer que são enormes as pequenas coisas. Por isso a música dos Beatles, na versão do Yes. A escolha da banda tem muito a ver com isso. Uma forma carinhosa de lembrar de alguém que não vejo a muito tempo.

Entretanto, tenho que admitir que mais que as pequenas coisas. Existem coisas que eu queria poder dizer e fazer todo dia. Outra canção dos Beatles que eu adoro e que só não nomeou o post porque eu a utilizei a poucos dias. Coloco aqui de novo o clipe. Eu queria o do John Pizzarelli, mas não achei nenhum.

Vai o clipe pra lembrar que além do valor das pequenas coisas, existem também as coisas que eu queria poder dizer todo dia. Eu adoro muita gente e queria poder saber falar isso olho no olho. Eu adoro muita gente e queria saber demonstrar isso nos meus atos. Eu adoro muita gente e queria que essas pessoas soubessem o quanto são importantes para mim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.