Keep The Faith – Bon Jovi

 

 

Pouco mais de uma semana atrás li uma frase num perfil de facebook. Não vou me lembrar exatamente da frase, mas seu conteúdo ainda está fresco na memória e não acho que deva fuçar no perfil alheio até encontrar a informação que de certa forma já tenho. A frase falava da fé, de certa forma trazia aos olhos a importância da fé diante daquilo que não se tem certeza. Eu diria que é um mote interessante, principalmente para alguém como eu que sou assumidamente ateu.

Em momento algum da minha existência eu cheguei a duvidar da importância da fé para o homem. Apenas tenho fé em outras coisas. Ou melhor preciso ter um mínimo de lógica para ter fé em algo. Procuro sempre acreditar naquilo que me parece mais provável. O fantástico, para mim sempre foi isso, o fantástico, irreal e pouco provável.

Não ligo se alguém ao meu lado é devoto fervoroso de alguma divindade. Minha família quase toda é bem devota, aliás. Apenas não faz sentido algum para mim. As divindades não me preenchem. Vejo os mitos todos como boas histórias, muito bem contadas e que de certa forma cativam, mas apenas isso, boas histórias. Fatos extremamente distantes do mundo real.

Seria também pequeno demais dizer que eu acredito puramente na ciência. Na verdade pra mim a ciência só tem uma grande vantagem em relação ao que se convém chamar de religião. Eu posso duvidar abertamente da ciência e testar as suas propostas. Mesmo quando algo é aparentemente validado, posso continuar testando até que a ideia seja derrubada.

Isso para mim é uma força muito grande de convencimento. Muito mais do que o mágico e o místico. Outro fato que move minha fé é a necessidade de explicações que eu carrego dentro de mim. Tudo acaba tendo um porquê. Tudo tem um motivo e uma forma. Encontrar as partes que organizam o universo é algo que sempre me moveu. Eu acredito piamente que a chave para um mundo melhor consiste em conhecer de forma plena o local onde estamos.

É aqui que a conversa fica interessante. Eu penso que entender o universo vai além do que a ciência diz. Penso que o conhecer de forma efetiva signifique entender todas as nuances que mantém o universo equilibrado da forma como ele é. Eu não acredito no mágico e nem no místico, mas isso não quer dizer que eles não existam. A minha descrença também não me cega para o fato de que eu acreditar ou não em algo não o torna certo e factível. Apenas aponta para que lado minha fé aponta e a maneira como ela funciona.

É isso que me leva a respeitar a fé de meus pais que vão todo domingo a missa, amigos que não perdem um culto em suas igrejas ou mesmo aqueles que reverenciam sua fé ao som dos atabaques. Respeito a fé de quem se congraça com a natureza e de quem busca seu lugar sagrado. Só não respeito aqueles que não respeitam a fé alheia. O direito de crer (ou descrer) é livre e merece ser respeitado.

Eu não acredito em verdades absolutas (ai está provavelmente o maior legado da ciência), vejo verdades relativas e pontuais, dependentes de uma série imensa de fatores que não podem ser controlados. Eu aceito a sua verdade desde que você aceite a minha. Se sua fé for verdadeira, você não vai sentir-se ofendido pelo que creio, afinal para você deve importar o que você crê. Por isso eu não entendo para que tanta briga, terreiros atacados na Bahia, cristãos mortos no Egito, a longa briga entre muçulmanos e palestinos. Se cada um realmente ouvir a própria fé, nada disso continua.

Porque eu espero o dia em que todos os saberes humanos serão usados para a construção de um universo melhor. Sem escalas de superioridade, sem orgulho, sem medo do outro. Apenas a soma de boas ideias.

4 respostas para “Keep The Faith – Bon Jovi”

  1. “Fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que não se vêem”. Hebreus 11:1
    Olhando desta forma parece uma forma de limitar, de castrar pensamento e atitudes ,de submeter o espírito. É o freio invisível.
    Mas pode também ser entendida como fonte de confiança na realidade, um mote que impulsiona, motiva, consagra…buscamos sempre algo muito abstrato, uma satisfação que sabemos não existir plenamente na prática.
    Em todos os sentidos da vida queremos alguma garantia, e sinceramente não podemos ter nenhuma. Impossível alcançar algumas coisas: estabilidade plena no emprego, “ juntos para sempre”, que o mundo não nos magoe, que os tratamentos psicológicos curem nossas síndromes, aflições ou depressões, entre tantas outras demandas.
    A vida é cheia de variáveis e neste ponto a fé funciona bem como fator auto motivador. Ela permite que você contemple mais e melhor os momentos bons e entenda que os tropeços existem sim, mas são apenas parte da estrada a ser trilhada.

    1. Interessante seu ponto de vista.

      Sou daqueles que acredita que a fé pode tanto impulsionar quanto aprisionar. Depende muito da forma como lidamos com ela. Não podemos ser escravizados pela crença, ela deve atuar para o nosso bem e nossa liberdade, não para uma prisão.

  2. Alex, muito boa a sua exposição de ideias sobre a fé e as crenças, pois elimina o esteriótipo do ateu que rejeita tudo. Reflexão madura e aberta, por se pautar na liberdade. Muito bom ler algo assim! Obrigada.
    Beijos,
    Érika

    1. Olá Érika, fico feliz em vê-la por aqui. Eu sou ateu, mas me preocupo apenas com o que eu penso a respeito da coisa toda, respeito e muito quem pensa diferente de mim. Afinal, o que seria do mundo se só existisse uma linha de pensamento?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.